VALE a pena?

Por Erik Vicente

VALE qualquer coisa a qualquer custo?

Já respondemos tal pergunta há muito tempo. Mas a resposta não precisa ser definitiva.

Mariana, Brumadinho e tantas milhares de outras são efeito e não causa, resultado de uma lógica social predominante, uma lógica capital destrutiva normalizada, ainda que minha síndrome de vira-lata faça esbravejar “é Brasil”, tenho que admitir, é também um fenômeno mundial, um pragmatismo não pragmático, uma visualização da vida sem a holística necessária, abraçado a lógicas autodestrutivas.

Na corrida dialética do social construindo o homem e do homem construindo o social cabe a atuação afirmativa da elaboração de uma lógica menos mecânica e mais fluida, cabe a nossa decisão de mudar a direção do trem desgovernado.

Para romper é preciso trocar a lógica do “ter” pelo “SER”.

É preciso não silenciar a alma.

É preciso não calar a consciência.

É preciso encarnar o espírito há muito aprisionado.

Precisamos construir um novo mundo que inverta toda lógica vigente.

Descolonialize os seres e as terras.

Liberte os oprimidos do desrespeito próprio.

No lugar da competição, a cooperação.

Ao invés do lucro o valor incalculável de cada ser enquanto métrica.

Ninguém é dono de nada, tudo é um empréstimo que cuidaremos para a próxima geração.

Seja e deixe ser.

No lugar do medo o amor corajoso.

No lugar da mediocridade a excelência da autenticidade.

No lugar de entropia, a sintropia.

No lugar de hierarquias uma sociedade horizontal.

Os fins e os meios são uma coisa só.

O caminho é destino e o destino é o caminho.

Tudo importa, todos são importantes.

Alimento sem veneno para o corpo e para alma.

Respeite os animais, eles não são produtos, são tão dignos quanto qualquer outro ser/humano.

A Vale (empresa/assassina) pode até não saber o quanto esse mundo novo vale, mas nós que sabemos, podemos mudar, não somente imaginar; podemos mudar-nos, isso é muito, isso é tudo, isso VALE a pena.

Ninguém muda ninguém, e nem deveria, ainda que pudesse.

Para incendiar a esperança na resistência dos vivos segue o maravilhoso poema de Walt Whitman que VALE a pena dar um CTRL+V na alma.

“Aproveita o dia,
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesias sim podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, e nem fujas.
Valorize a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não atraiçoes tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.
Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda a diante.
Procures vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprendes com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido…”

Comentários